skip to Main Content

O Colégio Notarial do Brasil (CNB), entidade de representação dos cartórios em nível nacional, informou nessa quinta-feira (20) que registros de compra e venda de imóveis no Brasil tiveram um aumento de 43% do mês de maio para julho desse ano. Segundo o CNB, esse aumento é ligado a possibilidade de realizar a transferência via internet.

A Corregedoria Nacional de Justiça (CNJ) autorizou a realização remota de escrituras públicas e procurações de imóveis via videoconferência, através da plataforma e-Notoriado. A concessão começou a valer em junho desse ano, resultando na movimentação do mercado de imóveis.

“Assim, uma série de serviços antes feitos de forma exclusivamente presencial passaram a ser feitos remotamente e assinados eletronicamente”, salientou o CNB.

As escrituras de compra e venda passaram de 63.248 em maio, para 90.314 em julho, apresentando registros de aumento em todos os Estados brasileiros.

Entre os resultados maiores estão os Estados de:

Amapá (1.100%)

Amazonas (147%)

Alagoas, (89%)

Maranhão (84%)

Roraima (84%)

Sergipe (84%)

Ceará (75%)

Operações de compra e venda de imóveis crescem 60% em SP

As operações de compra e venda de imóveis usados tiveram um alta de 60% nas imobiliárias do Estado de São Paulo durante os primeiros 15 dias de agosto em comparação com a última quinzena de julho, conforme indica levantamento feito pelo Sindicato das Empresas de Compra Venda, Imóveis (Secovi-SP).

De acordo com dados da entidade o resultado foi o melhor desde o início de abril. Segundo o vice-presidente de Intermediação Imobiliária e Marketing do Secovi-SP, Claudio Hermolin, ainda foi registrada uma melhora nos números das etapas antes da compra e venda nas primeiras duas semanas de agosto.

“Exemplo disso foi o aumento de agendamentos de visitas e de propostas recebidas pelas empresas. Se continuar nesse ritmo, acreditamos que o indicador de vendas fechadas deve se manter positivo”, destacou o executivo.

A pesquisa ainda constatou que houve um crescimento no número de locações de imóveis, com cerca de 44% das imobiliárias fechando mais contratos em relação ao intervalo anterior.

Fonte: Suno Notícias

Back To Top